REVELAÇÕES DE CONVERSAS DISSIPAM AS DÚVIDAS SE LULA TEVE OU NÃO UM JULGAMENTO JUSTO

10 de Junho de 2019 | 14:28hs

Embora seja difícil se dizer imparcial nesta discussão toda sobre a Lava-Jato, mas tenho os leitores deste como testemunhas, que sempre argumentei em defesa de uma Justiça isenta e justa.

Condenei vazamentos, critiquei decisões incabíveis, combati as “manobras” jurídicas para se chegar aos resultados, alertei sobre o perigo das instituições ruírem diante de tantas concessões que estavam sendo feitas ao devido processo legal e a presunção de inocência.

Muitos olharam enviesados para os meus argumentos, torcendo o nariz para meus escritos e alertas, achando que era um mal necessário.

Eu avisei que mais cedo ou mais tarde essa conta seria cobrada.

As revelações do The Intercept podem até não resultar no fim da Lava-Jato, nem na nulidade de seus efeitos, afinal, há muita coisa em jogo e muitos interesses na questão.

Mas, ninguém apagará o que foi revelado e o que todos sabem, agora com provas, que realmente aconteceu.

A história ganhou novos elementos para serem contados daqui pra frente.

Dissipou-se a dúvida legal que existia no debate se o ex-presidente Lula teria tido um julgamento justo ou não. Não teve.

O debate de argumentos jurídicos e históricos chegou ao fim com o que foi revelado.

Restou apenas o debate dos desejos e das conveniências de discurso.

Comentários

Sem comentários. Seja o primeiro.

REVELAÇÕES DE CONVERSAS DISSIPAM AS DÚVIDAS SE LULA TEVE OU NÃO UM JULGAMENTO JUSTO

10 de Junho de 2019 | 14:28hs
Imagem [0]

Embora seja difícil se dizer imparcial nesta discussão toda sobre a Lava-Jato, mas tenho os leitores deste como testemunhas, que sempre argumentei em defesa de uma Justiça isenta e justa.

Condenei vazamentos, critiquei decisões incabíveis, combati as “manobras” jurídicas para se chegar aos resultados, alertei sobre o perigo das instituições ruírem diante de tantas concessões que estavam sendo feitas ao devido processo legal e a presunção de inocência.

Muitos olharam enviesados para os meus argumentos, torcendo o nariz para meus escritos e alertas, achando que era um mal necessário.

Eu avisei que mais cedo ou mais tarde essa conta seria cobrada.

As revelações do The Intercept podem até não resultar no fim da Lava-Jato, nem na nulidade de seus efeitos, afinal, há muita coisa em jogo e muitos interesses na questão.

Mas, ninguém apagará o que foi revelado e o que todos sabem, agora com provas, que realmente aconteceu.

A história ganhou novos elementos para serem contados daqui pra frente.

Dissipou-se a dúvida legal que existia no debate se o ex-presidente Lula teria tido um julgamento justo ou não. Não teve.

O debate de argumentos jurídicos e históricos chegou ao fim com o que foi revelado.

Restou apenas o debate dos desejos e das conveniências de discurso.

Comentários


Sem comentários. Seja o primeiro.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br