PROJETO DE CARLOS AUGUSTO PARA 2020 É MONTAR ALIANÇA COM PP, PL, PSDB E PSL. O VICE SERÁ O SUCESSOR.

03 de Outubro de 2019 | 10:43hs

O ex-deputado Carlos Augusto Rosado, articulador do rosalbismo, tem claro algumas ações visando preparar o terreno para sua esposa, prefeita Rosalba Ciarlini, possa disputar a reeleição em um palanque bem estruturado.

Carlos despachou emissários para algumas tarefas. Uma destas tarefas é de convencer o empresário Jorge do Rosário a ser vice na chapa rosalbista. Uma outra tarefa é de garantir o PSL, do deputado Girão, com os votos bolsonaristas no seu palanque.

O ex-deputado também faz contas para manter o PSDB, de Sandra e Larissa Rosado, alinhado com o projeto de reeleição. O projeto rosalbista seria montar uma aliança com PP, PL, PSDB e PSL juntos.

O entrave é a enorme possibilidade do PL não integrar o grupo. Jorge do Rosário e Tião Couto não tem feito segredo algum de que pretendem trilhar numa linha de oposição a Rosalba. Os dois namoram com a ideia de montar uma chapa de oposição para o embate, tentando unir o maior número possível de partidos oposicionistas no projeto.

No caso do PSL, Rosalba já deu o primeiro sinal de que quer se dar bem com os seguidores de Rosalba. Mandou sua assessoria divulgar que vai lutar para trazer uma escola militar para Mossoró, num afago ao programa educacional do governo Bolsonaro.

Caso não conte com Jorge para vice, Carlos Augusto Rosado pensa em investir num nome caseiro. Ele sofrerá pressão do PSDB e do PSL que vão lutar pela indicação, mas Carlos resistirá. Sua preferência passaria para o empresário Elviro Rebouças, uma espécie de carta na manga do rosalbismo.

A escolha do vice terá uma simbologia além do cargo em si.

Rosalba sonha em disputar o Senado em 2022 e deverá renunciar para que o vice assuma. Mesmo que desista de disputar a vaga no Senado, Rosalba não poderia tentar um terceiro mandato e o vice que escolher hoje será naturalmente seu sucesso amanhã.

Enquanto se volta para montar o palanque de Rosalba, Carlos não dá sinais de preocupação com a montagem da chapa proporcional e vai deixando o tempo passar, no pensamento de que acertando em cima (majoritária) será mais fácil fazer os ajustes em baixo (proporcional).

Comentários

Sem comentários. Seja o primeiro.

PROJETO DE CARLOS AUGUSTO PARA 2020 É MONTAR ALIANÇA COM PP, PL, PSDB E PSL. O VICE SERÁ O SUCESSOR.

03 de Outubro de 2019 | 10:43hs
Imagem [0]

O ex-deputado Carlos Augusto Rosado, articulador do rosalbismo, tem claro algumas ações visando preparar o terreno para sua esposa, prefeita Rosalba Ciarlini, possa disputar a reeleição em um palanque bem estruturado.

Carlos despachou emissários para algumas tarefas. Uma destas tarefas é de convencer o empresário Jorge do Rosário a ser vice na chapa rosalbista. Uma outra tarefa é de garantir o PSL, do deputado Girão, com os votos bolsonaristas no seu palanque.

O ex-deputado também faz contas para manter o PSDB, de Sandra e Larissa Rosado, alinhado com o projeto de reeleição. O projeto rosalbista seria montar uma aliança com PP, PL, PSDB e PSL juntos.

O entrave é a enorme possibilidade do PL não integrar o grupo. Jorge do Rosário e Tião Couto não tem feito segredo algum de que pretendem trilhar numa linha de oposição a Rosalba. Os dois namoram com a ideia de montar uma chapa de oposição para o embate, tentando unir o maior número possível de partidos oposicionistas no projeto.

No caso do PSL, Rosalba já deu o primeiro sinal de que quer se dar bem com os seguidores de Rosalba. Mandou sua assessoria divulgar que vai lutar para trazer uma escola militar para Mossoró, num afago ao programa educacional do governo Bolsonaro.

Caso não conte com Jorge para vice, Carlos Augusto Rosado pensa em investir num nome caseiro. Ele sofrerá pressão do PSDB e do PSL que vão lutar pela indicação, mas Carlos resistirá. Sua preferência passaria para o empresário Elviro Rebouças, uma espécie de carta na manga do rosalbismo.

A escolha do vice terá uma simbologia além do cargo em si.

Rosalba sonha em disputar o Senado em 2022 e deverá renunciar para que o vice assuma. Mesmo que desista de disputar a vaga no Senado, Rosalba não poderia tentar um terceiro mandato e o vice que escolher hoje será naturalmente seu sucesso amanhã.

Enquanto se volta para montar o palanque de Rosalba, Carlos não dá sinais de preocupação com a montagem da chapa proporcional e vai deixando o tempo passar, no pensamento de que acertando em cima (majoritária) será mais fácil fazer os ajustes em baixo (proporcional).

Comentários


Sem comentários. Seja o primeiro.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br