O QUE VAZOU DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA PARECE ESTRATÉGIA DO GOVERNO PARA ABRIR A NEGOCIAÇÃO

05 de Fevereiro de 2019 | 13:27hs

Vazou parte do texto sobre a reforma da previdência.

As medidas que o Governo pretende defender no Congresso a princípio são duras demais. 65 anos de idade mínima para homens e mulheres. Sem transição.

As medidas são mais duras do que o próprio mercado desejava.

Eu fiquei muito desconfiado do material que vazou na imprensa. Rogério Marinho  confirmou que o texto correspondia aos estudos que estavam sendo feitos.

Minha impressão é que a estratégia do Governo foi soltar o mais rigoroso possível para depois ir negociando a redução.

Aquela história do cara que quer vender o carro, deseja vender por 40, mas começa pedindo 50.

Ou a história do bode na sala, que foi colocado lá durante uma reunião e aos poucos todos que estavam lá discutindo outras coisas se sentem tão incomodados que a simples retirada do bode passa a ser a principal reivindicação.

Comentários

Sem comentários. Seja o primeiro.

O QUE VAZOU DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA PARECE ESTRATÉGIA DO GOVERNO PARA ABRIR A NEGOCIAÇÃO

05 de Fevereiro de 2019 | 13:27hs
Imagem [0]

Vazou parte do texto sobre a reforma da previdência.

As medidas que o Governo pretende defender no Congresso a princípio são duras demais. 65 anos de idade mínima para homens e mulheres. Sem transição.

As medidas são mais duras do que o próprio mercado desejava.

Eu fiquei muito desconfiado do material que vazou na imprensa. Rogério Marinho  confirmou que o texto correspondia aos estudos que estavam sendo feitos.

Minha impressão é que a estratégia do Governo foi soltar o mais rigoroso possível para depois ir negociando a redução.

Aquela história do cara que quer vender o carro, deseja vender por 40, mas começa pedindo 50.

Ou a história do bode na sala, que foi colocado lá durante uma reunião e aos poucos todos que estavam lá discutindo outras coisas se sentem tão incomodados que a simples retirada do bode passa a ser a principal reivindicação.

Comentários


Sem comentários. Seja o primeiro.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br