A INCRÍVEL CAPACIDADE DE JAIR BOLSONARO DE NÃO SABER CONVERSAR COM OS CONTRÁRIOS

16 de Maio de 2019 | 08:28hs

O presidente Bolsonaro resolveu enfrentar os protestos ontem em todo o Brasil disparando ataques verbais de desqualificação do movimento.

De um lado declarou que os manifestantes eram idiotas e imbecis. Do outro, seus robôs na Internet, disparavam postagens mostrando manifestantes que não sabiam sobre o que estavam protestando e imagens de movimentações com as bandeiras dos partidos de esquerda.

Nas suas entrevistas, Bolsonaro disse que os estudantes e escolas em geral não estavam ensinando nada que preste. Justificou que aluno de oitava série não sabe nem fazer uma conta usando regra de três. Enfim, argumentou que a educação no Brasil vai muito mal graças  as esquerdas.

Neste caso, eu me pergunto, se vai mal não seria o caso de investir para melhorar? Ou o certo é cortar o dinheiro porque vai mal?

Em Brasília, o ministro da Educação foi ao Congresso explicar os cortes. Na ânsia de atacar o PT e jogar para a plateia do anti-lulismo, disse que o orçamento atual é culpa de Dilma Roussef.

Ora, Dilma saiu do Governo em 2016, três anos depois o ministro ainda quer dizer que um orçamento elaborado no ano passado para vigorar nesse, foi mal feito por culpa de Dilma.

Aliás, até agora o governo não consegue explicar direito porque cortou nas universidades e em outros setores não. Não explica que rombo é esse no orçamento que só apareceu de repente, do nada.

Até seria aceitável um argumento técnico sobre frustração de receitas, etc., etc., etc. Porém, associada a guerra dos últimos meses do governo contra as universidades, as postagens dizendo que a nossa universidade só tem vagabundo e maconheiro e a declaração que seria tirado dinheiro das universidades para cursos de filosofia ou sociologia, mostram que a razão dos cortes não é a mera falta de orçamento.

É uma guerra declarada do governo contra o ensino superior no País sob a alegativa que a universidade só serve para produzir comunista.

E no meio dos protestos, o governo ao invés de abrir o diálogo, demonstrar respeito aos manifestantes, buscar soluções, resolve responder chamando todo mundo de imbecil e idiota. Okay.

Comentários

Sem comentários. Seja o primeiro.

A INCRÍVEL CAPACIDADE DE JAIR BOLSONARO DE NÃO SABER CONVERSAR COM OS CONTRÁRIOS

16 de Maio de 2019 | 08:28hs
Imagem [0]

O presidente Bolsonaro resolveu enfrentar os protestos ontem em todo o Brasil disparando ataques verbais de desqualificação do movimento.

De um lado declarou que os manifestantes eram idiotas e imbecis. Do outro, seus robôs na Internet, disparavam postagens mostrando manifestantes que não sabiam sobre o que estavam protestando e imagens de movimentações com as bandeiras dos partidos de esquerda.

Nas suas entrevistas, Bolsonaro disse que os estudantes e escolas em geral não estavam ensinando nada que preste. Justificou que aluno de oitava série não sabe nem fazer uma conta usando regra de três. Enfim, argumentou que a educação no Brasil vai muito mal graças  as esquerdas.

Neste caso, eu me pergunto, se vai mal não seria o caso de investir para melhorar? Ou o certo é cortar o dinheiro porque vai mal?

Em Brasília, o ministro da Educação foi ao Congresso explicar os cortes. Na ânsia de atacar o PT e jogar para a plateia do anti-lulismo, disse que o orçamento atual é culpa de Dilma Roussef.

Ora, Dilma saiu do Governo em 2016, três anos depois o ministro ainda quer dizer que um orçamento elaborado no ano passado para vigorar nesse, foi mal feito por culpa de Dilma.

Aliás, até agora o governo não consegue explicar direito porque cortou nas universidades e em outros setores não. Não explica que rombo é esse no orçamento que só apareceu de repente, do nada.

Até seria aceitável um argumento técnico sobre frustração de receitas, etc., etc., etc. Porém, associada a guerra dos últimos meses do governo contra as universidades, as postagens dizendo que a nossa universidade só tem vagabundo e maconheiro e a declaração que seria tirado dinheiro das universidades para cursos de filosofia ou sociologia, mostram que a razão dos cortes não é a mera falta de orçamento.

É uma guerra declarada do governo contra o ensino superior no País sob a alegativa que a universidade só serve para produzir comunista.

E no meio dos protestos, o governo ao invés de abrir o diálogo, demonstrar respeito aos manifestantes, buscar soluções, resolve responder chamando todo mundo de imbecil e idiota. Okay.

Comentários


Sem comentários. Seja o primeiro.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br