FÁTIMA BEZERRA ESQUECEU "FOCO" E NÃO TEM MAIS LUZ NO FIM DO TÚNEL PARA PAGAR ATRASADOS DE SERVIDORES

12 de Agosto de 2019 | 09:25hs

A governadora Fátima Bezerra (PT) praticamente passou uma borracha sobre as propostas de obtenção de recursos extras para quitação das folhas em atraso dos servidores do Estado. O assunto está censurado no governo, não se fala mais nisso.

Fátima assumiu com o discurso de que iria atrás de fontes extras para quitar os atrasados. E vendeu para a opinião pública a ideia de que havia luz no fim do túnel e teria já no horizonte a solução para esse problema.

Á época que assumiu o governo, Fátima chegou a dizer que até o final este ano estaria com os atrasados quitados.

Para isso, existiam quatro ações planejadas e com recursos previstos.

R$ 350 milhões com antecipação dos royalties.

R$ 240 milhões com a venda da folha para outro banco.

R$ 600 milhões com a cessão onerosa do Pré-Sal repassados ao Estado.

R$ 160 milhões com a recuperação de dívidas fiscais.

Nada disso ocorreu. E Fátima preferiu não mais falar do assunto.

O leilão da venda antecipada dos royalties foi frustrado. Não apareceu nenhuma empresa interessada. O governo prometeu para junho uma nova tentativa. Não houve e nada mais foi dito sobre o tema.

A venda da folha de pessoal para um banco também não se concretizou. O Governo ainda justifica que a negociação está em andamento, mas estranhamente não divulga nada a respeito.

A cessão onerosa do Pré-Sal é incerta. A medida entrou no pacto dos governadores nordestinos proposto ao Governo Federal, mas não há nenhuma previsão de quando ocorrerá essa liberação.

A meta de recuperação fiscal não foi batida, sequer existem informações de como está funcionando esse programa.

Paralelo a decepção com a arrecadação extra de recursos, ocorre na atual gestão a gradativa perda de capacidade do Estado continuar pagando em dia.

Em março passado o Estado pagou no dia 15 a quem ganhava até 6 mil reais, pagou integralmente ao pessoal da segurança pública e antecipou 30% de quem ganhava acima de R$ 6 mil reais.

Em julho passado, só foi possível pagar no dia 15 a quem ganhava até R$ 3 mil. Ninguém mais.

Cientes de que a realidade é bem diferente do  tal “foco” prometido ao Fórum Estadual de servidores no início do ano, o governo adotou a estratégia de não mais falar sobre o assunto.

As medidas para obtenção de recursos extras sumiram dos discursos da equipe econômica e não se fala mais em cumprir a promessa de pagar todos os atrasados até o final do ano.

Comentários

Sem comentários. Seja o primeiro.

FÁTIMA BEZERRA ESQUECEU "FOCO" E NÃO TEM MAIS LUZ NO FIM DO TÚNEL PARA PAGAR ATRASADOS DE SERVIDORES

12 de Agosto de 2019 | 09:25hs
Imagem [0]

A governadora Fátima Bezerra (PT) praticamente passou uma borracha sobre as propostas de obtenção de recursos extras para quitação das folhas em atraso dos servidores do Estado. O assunto está censurado no governo, não se fala mais nisso.

Fátima assumiu com o discurso de que iria atrás de fontes extras para quitar os atrasados. E vendeu para a opinião pública a ideia de que havia luz no fim do túnel e teria já no horizonte a solução para esse problema.

Á época que assumiu o governo, Fátima chegou a dizer que até o final este ano estaria com os atrasados quitados.

Para isso, existiam quatro ações planejadas e com recursos previstos.

R$ 350 milhões com antecipação dos royalties.

R$ 240 milhões com a venda da folha para outro banco.

R$ 600 milhões com a cessão onerosa do Pré-Sal repassados ao Estado.

R$ 160 milhões com a recuperação de dívidas fiscais.

Nada disso ocorreu. E Fátima preferiu não mais falar do assunto.

O leilão da venda antecipada dos royalties foi frustrado. Não apareceu nenhuma empresa interessada. O governo prometeu para junho uma nova tentativa. Não houve e nada mais foi dito sobre o tema.

A venda da folha de pessoal para um banco também não se concretizou. O Governo ainda justifica que a negociação está em andamento, mas estranhamente não divulga nada a respeito.

A cessão onerosa do Pré-Sal é incerta. A medida entrou no pacto dos governadores nordestinos proposto ao Governo Federal, mas não há nenhuma previsão de quando ocorrerá essa liberação.

A meta de recuperação fiscal não foi batida, sequer existem informações de como está funcionando esse programa.

Paralelo a decepção com a arrecadação extra de recursos, ocorre na atual gestão a gradativa perda de capacidade do Estado continuar pagando em dia.

Em março passado o Estado pagou no dia 15 a quem ganhava até 6 mil reais, pagou integralmente ao pessoal da segurança pública e antecipou 30% de quem ganhava acima de R$ 6 mil reais.

Em julho passado, só foi possível pagar no dia 15 a quem ganhava até R$ 3 mil. Ninguém mais.

Cientes de que a realidade é bem diferente do  tal “foco” prometido ao Fórum Estadual de servidores no início do ano, o governo adotou a estratégia de não mais falar sobre o assunto.

As medidas para obtenção de recursos extras sumiram dos discursos da equipe econômica e não se fala mais em cumprir a promessa de pagar todos os atrasados até o final do ano.

Comentários


Sem comentários. Seja o primeiro.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br