DISCURSO MAIS SIMPLES AJUDARIA PREFEITO A EXPOR MELHOR SUA GESTÃO

06 de Fevereiro de 2016 | 10:01hs

Ouvi ontem na Rádio Difusora, no início da manhã uma entrevista ao vivo com o prefeito Francisco José Júnior. Ouvi atentamente. Perguntas e respostas.

O prefeito, sem dúvida, vende bem sua gestão, sabe explicar de forma que todos entendam sobre as ações de sua gestão e tirou todas as dúvidas suscitadas pelos ouvintes.

O fato é que Francisco José Júnior enfrenta duas pedreiras: a primeira é a crise financeira, que segundo ele, tirou em 2015 mais de 100 milhões de reais dos cofres da Prefeitura. Uma perda dessa compromete todo o plano de gestão. A segunda pedreira é a oposição que está firme e forte lhe criticando diariamente por todas as mazelas.

O fato negativo que observo na entrevista e na forma como as obras são apresentadas, é a adjetivação excessiva sobre o que foi feito. “Nunca antes”, “pela primeira vez na História”, “agora finalmente foi feito”, “tivemos a coragem” foram algumas das frases usadas excessivamente para cada resposta.

Esse é o grande pecado da gestão, falta um pouco mais de humildade na apologia ao que foi feito. A forma mais simples de dizer o que está fazendo e as dificuldades que enfrenta.

Vejamos como exemplo o sistema de transporte coletivo, anunciado como um “modelo” uma “revolução”, mas que na prática se apresentou bem aquém do prometido. Melhor dizer que Mossoró ganhou com novas linhas, ônibus de melhor qualidade, mas que ainda não é o que a administração deseja. Simples assim. Melhor que insistir na conversa do “nunca antes”.

Publicidade

Comentários

Sem comentários. Seja o primeiro.

DISCURSO MAIS SIMPLES AJUDARIA PREFEITO A EXPOR MELHOR SUA GESTÃO

06 de Fevereiro de 2016 | 10:01hs
Imagem [0]

Ouvi ontem na Rádio Difusora, no início da manhã uma entrevista ao vivo com o prefeito Francisco José Júnior. Ouvi atentamente. Perguntas e respostas.

O prefeito, sem dúvida, vende bem sua gestão, sabe explicar de forma que todos entendam sobre as ações de sua gestão e tirou todas as dúvidas suscitadas pelos ouvintes.

O fato é que Francisco José Júnior enfrenta duas pedreiras: a primeira é a crise financeira, que segundo ele, tirou em 2015 mais de 100 milhões de reais dos cofres da Prefeitura. Uma perda dessa compromete todo o plano de gestão. A segunda pedreira é a oposição que está firme e forte lhe criticando diariamente por todas as mazelas.

O fato negativo que observo na entrevista e na forma como as obras são apresentadas, é a adjetivação excessiva sobre o que foi feito. “Nunca antes”, “pela primeira vez na História”, “agora finalmente foi feito”, “tivemos a coragem” foram algumas das frases usadas excessivamente para cada resposta.

Esse é o grande pecado da gestão, falta um pouco mais de humildade na apologia ao que foi feito. A forma mais simples de dizer o que está fazendo e as dificuldades que enfrenta.

Vejamos como exemplo o sistema de transporte coletivo, anunciado como um “modelo” uma “revolução”, mas que na prática se apresentou bem aquém do prometido. Melhor dizer que Mossoró ganhou com novas linhas, ônibus de melhor qualidade, mas que ainda não é o que a administração deseja. Simples assim. Melhor que insistir na conversa do “nunca antes”.

Comentários


Sem comentários. Seja o primeiro.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br