CRÍTICAS AO SENADOR JEAN PAUL PRATES SÃO UM EXAGERO QUE FOGE AO BOM SENSO

04 de Fevereiro de 2019 | 10:16hs

Quando do episódio da votação para a presidência do Senado, em que estava estabelecida uma polêmica por terem sido contados 82 votos, quando o número de senadores é de 81, o senador potiguar, Jean Paul Prates, sugeriu ao presidente da mesa, senador José Maranhão, que acabara de determinar uma nova eleição, que destruísse logo os votos para ninguém identificá-los.

Vi em alguns blogs no Estado a crítica a Prates sugerindo que o que ele propôs significava acobertar a fraude ou impedir uma investigação.

Nem uma coisa nem outra.

Na minha visão, Jean Paul se preocupou apenas em evitar que a polêmica se estendesse num eterno bate-boca, impedindo assim que a sessão pudesse seguir adiante.

Já estava determinado naquele momento que haveria nova eleição, o que de fato era o mais razoável a ser feito.

Não vi má vontade alguma na sugestão do senador, que ao meu ver, para o momento, foi uma sugestão sensata.

Comentários

  • Laecio Macedo

    Não vi nada de inocência na ação do Senador Prates. O que ele fez, antes de criar qualquer polêmica, foi acobertar um crime cometido durante o processo de votação. Isso não pode ficar impune.

CRÍTICAS AO SENADOR JEAN PAUL PRATES SÃO UM EXAGERO QUE FOGE AO BOM SENSO

04 de Fevereiro de 2019 | 10:16hs
Imagem [1]

Quando do episódio da votação para a presidência do Senado, em que estava estabelecida uma polêmica por terem sido contados 82 votos, quando o número de senadores é de 81, o senador potiguar, Jean Paul Prates, sugeriu ao presidente da mesa, senador José Maranhão, que acabara de determinar uma nova eleição, que destruísse logo os votos para ninguém identificá-los.

Vi em alguns blogs no Estado a crítica a Prates sugerindo que o que ele propôs significava acobertar a fraude ou impedir uma investigação.

Nem uma coisa nem outra.

Na minha visão, Jean Paul se preocupou apenas em evitar que a polêmica se estendesse num eterno bate-boca, impedindo assim que a sessão pudesse seguir adiante.

Já estava determinado naquele momento que haveria nova eleição, o que de fato era o mais razoável a ser feito.

Não vi má vontade alguma na sugestão do senador, que ao meu ver, para o momento, foi uma sugestão sensata.

Comentários


  • Laecio Macedo

    Não vi nada de inocência na ação do Senador Prates. O que ele fez, antes de criar qualquer polêmica, foi acobertar um crime cometido durante o processo de votação. Isso não pode ficar impune.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br