UM DOS MOTIVOS PORQUE NO RIO GRANDE DO NORTE TEM DOIS PODERES NUMA BOA E O OUTRO QUEBRADO

03 de Abril de 2019 | 11:02hs
Imagem [0]

Há alguns anos atrás quando as universidades lutavam pela autonomia financeira, criou-se um percentual fixo da arrecadação em alguns Estados para repassar as instituições de ensino superior.

Os reitores não precisavam mais mendigar ano a ano a fatia do orçamento, o percentual era fixo e previsto em lei.

Não demorou para as universidades perceberem que aos poucos a folha de inativos ia sugando as contas. Cada vez mais a folha de aposentados ia crescendo e ficando com uma fatia maior do bolo.

E aí as universidades passaram a defender a ideia de entregar para o estado a folha dos aposentados e elas ficariam com suas cotas fixas no orçamento, limpinhos. O estado ficaria com o trambolho.

É assim que acontece com Judiciário e Legislativo no nosso RN.

A fatia delas é limpinha da silva. Os aposentados são mandados para a folha do Estado.

Não é à toa que Legislativo e Judiciário estão numa boa. Dinheiro sobrando.

O RN, quebrado.

GOVERNO DE FÁTIMA: GESTÃO DE UMA META SÓ.

03 de Abril de 2019 | 11:00hs
Imagem [0]

O governo de Fátima Bezerra é governo de uma perna só. De um olho só. De uma meta só.

Essa é a forma de dizer, num linguajar mais popular possível, a principal característica do governo de Fátima no Rio Grande do Norte.

Iniciativa para recuperar as rodovias esburacadas após as chuvas. Não tem, porque não tem dinheiro.

Iniciativa para investir na saúde, principalmente honrando os contratos e dando condições adequadas para atendimento nas unidades hospitalares. Não tem, porque não tem dinheiro.

Iniciativa para recuperar as escolas, informatizar, criar melhores condições nas salas de aula, merenda escolar. Não tem, porque não tem dinheiro.

Iniciativa para investir na segurança, fazer concurso público, contratar policiais suficientes para as polícias civil e militar, construir presídios, equipar delegacias, estruturar as tropas. Não tem, porque não tem dinheiro.

O governo hoje só tem uma iniciativa em curso. Negociar empréstimos para obter recursos extras e pagar os atrasados da folha salarial e manter a folha em dia. Mesmo assim, não tem dinheiro também pra isso.

O Estado do Rio Grande do Norte gasta todo mês cerca de R$ 100 milhões a mais do que arrecada. Só isso.

Quando olhamos para o futuro e tentamos vislumbrar o que o futuro reserva ao nosso Rio Grande do Norte, só vemos sombras. Não há horizonte.

O que precisamos é de inovação, criatividade, mágica, milagres, competência, excepcionalidade, excelência.

Mas com um governo de uma perna só, não podemos esperar muita coisa.

A CADA TOMÓGRAFO QUEBRADO A FAMA DE MAU PAGADOR DO GOVERNO DO RN

02 de Abril de 2019 | 11:49hs
Imagem [1]

Após 30 dias o tomógrafo do Hospital Tarcísio Maia continua sem conserto. Há uma previsão que até o final desse mês fique pronto. O conserto vai custar algo em torno dos 500 mil reais.

Da última vez que tinha quebrado, foram seis meses ´para consertar.

A direção do hospital ainda enfrenta um pouco de dificuldades para contratar tomografias em outras unidades hospitalares.

É que o Estado não pagou a conta dos serviços que contratou nos seis meses que usou durante a última vez que o tomógrafo esteve quebrado.

Como é mau pagador, não tem quem queira vender nada do Estado.

BOLSONARO VAI SE ISOLAR SE RESOLVER CONVERSAR EXCLUSIVAMENTE COM SEU EXÉRCITO DA RADICAIS

02 de Abril de 2019 | 11:47hs
Imagem [1]

Nem na passagem dos 50 anos do golpe militar de 1964 houve tanta repercussão como agora.

Novamente a data teria passado quase desapercebida, se o Bolsonaro não tivesse mandado os quartéis comemorarem a data.

Foi o suficiente para que todos voltassem seus olhos para o tema.

Os militares sabiam que não era uma boa ideia chamar tanto a atenção, mas Bolsonaro deu de ombros.

Trombeteou que não havia existido golpe e fez uma tentativa de reescrever a história com uma simples canetada.

O problema é que nessa questão, Bolsonaro estava dialogando apenas com um punhado de fanáticos que como ele acham que o grande mal do Brasil sempre foi a ameaça comunista.

Um moinho de vento.

Mesmo a grande maioria dos que votaram em Bolsonaro torcem o pescoço pra essa conversa que não houve golpe e nem ditadura no Brasil.

Será um grande erro se Bolsonaro entender que deve alimentar apenas a turma do radicalismo, deixando à margem seus eleitores que não compram a briga do comunismo delirante.

Não se trata nem de Bolsonaro governar para os milhões que não votaram nele, mas de não deixar para trás seus eleitores mais sóbrios e que também são contados aos milhões.

Porque se errar nisso também, ficará isolado e restará um presidente e seu podre exército de radicais.

A RESPONSABILIDADE DE TODOS NÓS NOS ALAGAMENTOS EM VÁRIAS RUAS DE MOSSORÓ

02 de Abril de 2019 | 11:45hs
Imagem [0]

Durante todo o final de semana, li aos montes, pelo twitter, os comentários sobre as chuvas torrenciais e seus estragos em Mossoró.

E quase todo mundo aproveitou para descer a lenha na Prefeitura.

Não descarto a responsabilidade do Poder Executivo, suas omissões e sua incapacidade de se antecipar aos problemas.

O gestor tem o mapa dos pontos de alagamentos a séculos, mas, não investe para prevenir.

Mas o que quero chamar a atenção nesse comentário de hoje, é que numa hora dessas ninguém põe a mão no peito para assumir a própria culpa.

Boa parte dos alagamentos se deve a bueiros entupidos pelo lixo que jogamos em locais impróprios.

Somos muito bons em sentar a pua no governante e péssimos em fazer a nossa parte.

Quantos de nós que postamos no twitter uma descascada na Prefeitura, não contribuímos com nossos maus hábitos de coleta de lixo para que o bueiro estivesse entupido?

Fica a questão.

GOVERNO DO RN NÃO EXPLICA COMO VAI USAR ROYALTIES PARA QUITAR FOLHAS ATRASADAS

02 de Abril de 2019 | 11:45hs
Imagem [0]

Disse aqui há poucos dias que a comunicação do Governo do Estado era feita com meias verdades.

O suficiente para membros da equipe de comunicação do Governo se sentirem incomodados e reclamarem comigo.

Então, convido os colegas a refletirem sobre uma meia-verdade que precisa se tornar verdade completa, e urgente.

O governo tem dito que precisa de receitas extras para quitar as folhas em atraso. Nessas receitas extras está a antecipação dos royalties.

O detalhe é que o governo está proibido de usar os royalties para pagar pessoal.

Num artigo publicado há poucos dias, Alcimar de Almeida Silva, Advogado, Economista, Consultor Fiscal e Tributário, cita que a Lei n. 7.990/89 estabelece vedações quanto a aplicação dos royalties, entre estas estão o pagamento de dívidas e do quadro permanente de pessoal.

Como o Governo proclama aos quatro ventos que está negociando os royalties dos próximos quatro anos para quitar parte dos atrasados, vamos ficar aguardando que alguém explique como isso será feito sem desrespeitar a legislação.

CONVERSAS DA OPOSIÇÃO EM MOSSORÓ JÁ ESTÃO TRAVADAS ANTES MESMO DE COMEÇAREM

29 de Março de 2019 | 11:34hs
Imagem [1]

Nos bastidores da política em Mossoró existe uma tentativa de aproximação do Solidariedade com o PT. Os deputados Alysson Bezerra e Isolda Dantas, estão conversando constantemente.

Alysson já fez um movimento de atração.

Propôs na Assembleia um voto de louvor a Marleide Cunha, presidente do Sindiserpum, se contrapondo ao voto de persona non grata aprovado pela Câmara após o sindicato veicular outdoors pela cidade com as fotos dos vereadores que votaram a favor do aumento de salário enviado pelo Executivo e que não agradou a categoria.

A tentativa de alinhamento dos partidos mais a esquerda pode envolver também o PCdoB. Essa construção sinaliza para o nome do próprio Alysson como candidato a prefeito.

Mas há um entrave. Um sério entrave.

A duríssima oposição ao governo de Fátima Bezerra que o deputado Kelps Lima, presidente estadual do Solidariedade, vem fazendo pelas redes sociais.

O PT já deixou claro que para as conversas continuarem Kelps vai ter que tirar o pé do acelerador. O deputado já está ciente da exigência, mas não dá sinais que vá ceder. Travou tudo.

Na outra frente de oposição em Mossoró, onde se encontram Tião Couto e Jorge do Rosário, representantes do PR, a notícia que se tem é que até agora não houve nenhuma tentativa de conversa por parte do Solidariedade. Nem do PT.

Jorge e Tião também não anteciparam nenhuma posição a respeito de candidatura própria ou numa política de alianças com qual lado prefere conversar. Uma fonte ligada aos dois indicou que o diálogo com o Solidariedade é mais fácil, contudo a pré-existência de candidatura de Alysson Bezerra dificulta a abertura das conversas.

Uma coisa é certa entre todos os oposicionistas. Por uma boca só eles dizem que se não houver união, será muito difícil derrotar o rosalbismo.

Ora, se os diálogos nem começaram ainda e já estão travados, imagine quando começarem.

GOVERNO DE FÁTIMA PRECISA EXPLICAR DÚVIDAS SOBRE OS ROYALTIES

29 de Março de 2019 | 11:34hs
Imagem [0]

O argumento da equipe econômica da governadora Fátima Bezerra de que não usou os R$ 43 milhões arrecadados com Royalties nos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano para começar a pagar os atrasados, porque necessitou desse dinheiro para pagar a folha atual em dia, abre um túnel de dúvidas.

A primeira grande dúvida é o seguinte: se o governo anuncia que vai antecipar os royalties dos próximos quatro anos para pagar atrasados, em tese então essa parte da receita está destinada a essa finalidade. Porque então não fez isso nos primeiros três meses do ano, já começando a pagar com o dinheiro em que entrou em caixa?

A segunda dúvida é: se o governo necessita dos royalties atuais para manter a folha em dia, como fará quando não puder mais contar com esse dinheiro que estará comprometido com os empréstimos?

O governo arrecadou R$ 43 milhões de janeiro a março e precisaria de R$ 37 para quitar o décimo terceiro de 2017.

BOLSONARO FICA SEM FUNÇÃO NA DISTRIBUIÇÃO DE PODERES DENTRO DO SEU GOVERNO

29 de Março de 2019 | 11:31hs
Imagem [0]

Concordo com uma análise que está sendo feito em Brasília de que hoje existem 4 frentes no comando do Brasil.

Na frente econômica, o economista Paulo Guedes, tenta fazer o possível para aprovar as reformas e executar um pacote de privatização para gerar receitas.

Na Frente da Justiça está o ministro Sérgio Moro com uma bandeira empunhada da Lava-Jato, do anticrime, da moralização e de olhos nas eleições presidenciais de 2022.

Na frente administrativa estão os militares tentando dá uma cara de gestão atuando como gerentes do governo. Tem militar em tudo quanto é ministério.

E numa quarta frente, estão Bolsonaro, os filhos e o Olavo de Carvalho. Esta frente ainda não tem nome, mas alguns chamam da frente das redes sociais, outros de frente das insanidades, cujo função é provocar polêmicas e comprar brigas em nome dos ideais do governo.

Concordo que essa é uma real divisão de poder no País hoje.

E me preocupa a posição de Bolsonaro.

Um presidente que não sabe nada da economia, não sabe nada da Justiça e muito menos da administração.

Um presidente que no meio da crise pega a esposa e vai ao cinema numa quarta-feira pela manhã.

Talvez seja por isso que na divisão do poder, ele esteja hoje como elemento decorativo.

BOLSONARO CRIA UMA ARMADILHA CONTRA SI PRÓPRIO

28 de Março de 2019 | 09:57hs
Imagem [2]

A jornalista Eliane Catanhêde revelou hoje na GloboNews que o presidente Jair Bolsonaro decidiu demitir o ministro da Educação, Velez Rodrigues.

Alguns minutos depois o presidente Bolsonaro postou nas suas redes sociais que a notícia de Catanhêde era fake News alegando que a notícia era mais uma ação para desgastar seu governo.

O inquieto Bolsonaro armou uma armadilha contra ele mesmo. Colocou a corda sobre seu próprio pescoço.

Se de um lado ele não demite o ministro da Educação, vai enfrentar um enorme desgaste, considerando que a gestão do Ministério da Educação virou um caos, e o próprio presidente admite: “as coisas por lá não estão dando certo”, disse ontem. Todos dão como certa a demissão de Velez.

E se demite o ministro, ele desmente a si próprio.

Ficou encurralado. Por obra e graça da sua própria burrice.

Não havia necessidade do presidente postar coisa alguma. Não se segurou e fez besteira mais uma vez.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br