COM LDO PRATICAMENTE IGUAL A DE ROBINSON, GOVERNO DE FÁTIMA DEIXA CLARO QUE É MAIS DO MESMO

08 de Julho de 2019 | 12:30hs
Imagem [0]

Alguns deputados estaduais potiguares estão denunciando que o Projeto de Lei das Diretrizes Orçamentárias para 2020, enviado pela governadora Fátima Bezerra à Assembleia, é uma cópia fiel da LDO enviada ano passado pelo governador Robinson Faria e que está vigorando esse ano.

Copiado de tal forma que até algumas datas foram esquecidas de serem atualizadas.

O fato serve como argumento para se afirmar que o governo Fátima Bezerra é cópia fiel do que foram os governos de Rosalba e Robinson nos últimos oito anos.

Sim, porque a LDO não é meramente uma peça técnica da contabilidade. Diferente da LOA - Lei Orçamentária Anual, que será votada até o final do ano, a Lei de Diretrizes aponta recursos para as políticas públicas que o governo pretenda executar com o orçamento do ano seguinte.

Por isso, a regra é aprovar no primeiro semestre a Lei de Diretrizes que indica os caminhos e no segundo semestre se aprova a Lei Orçamentária.

Quando copia de um ano para o outro a LOA, a equipe do governo não se revela apenas preguiçosa e sem disposição para elaborar um novo documento, se mostra incapaz de pensar algo diferente do que o governo anterior fez.

Sabemos os rumos que os governos de Rosalba e Robinson tomaram. E sabemos que Fátima vai no mesmo rumo.

Nesses seis meses de gestão, Fátima Bezerra não tem resultados para mostrar que revelem que o RN está sob novos horizontes, com políticas públicas diferenciadas e com uma gestão inovadora.

Pelo contrário, tudo que se fez de janeiro a junho desse ano, tem a mesma forma, o mesmo cheiro, a mesa dimensão, enfim, a mesma cara do que fizeram os antecessores.

Seguimos na mesma toada.

DEBATE SOBRE A PREVIDÊNCIA PERDEU ARGUMENTOS VÁLIDOS E VIROU BRIGA DE TORCIDAS

08 de Julho de 2019 | 12:29hs
Imagem [0]

Já faz um bom tempo que o debate sobre a reforma da previdência deixou de ser uma discussão técnica para ser meramente uma disputa de rivalidades políticas.

A aprovação da reforma ´passou a ser vista como vitória de Bolsonaro. Desaprovar significa derrotar Bolsonaro.

A discussão da necessidade da reforma e dos pontos em que ela corrige distorções e naqueles que não corrige virou secundária diante da guerra das paixões de esquerda e direita.

Penso que há realmente uma necessidade de mudança no formato de previdência do Brasil, assim como sei que existem muitas informações distorcidas, de lado a lado.

Esse joguinho do gosto e não gosto, infelizmente, vai continuar em muitas das discussões que teremos nos temas nacionais no pós-reforma.

Nem a direita faz questão de modificar esse debate, nem a esquerda.

E a população em geral entra no jogo, feito boneco, inerte, apenas usada pelos lados para vender ideias sobre as quais não exerce nenhum senso crítico.

Em guerra de torcidas, o argumento jaz, morto.

JORGE DO ROSÁRIO FALA SOBRE 2020 E DIZ QUE UNIÃO DEVE SER EM TORNO DE UM PROJETO E NÃO DE UM NOME

05 de Julho de 2019 | 12:14hs
Imagem [0]

Em entrevista ontem a Rádio Difusora, o presidente municipal do PL, empresário Jorge do Rosário, seu a senha de como o PL e o Movimento Mossoró Melhor estão se posicionando a respeito da eleição municipal de 2020.

Jorge rebateu de imediato qualquer tentativa de vincular o momento político com a fixação de nomes para a disputa. Compreendendo que o papel de quem faz oposição a prefeita Rosalba Ciarlini é de montar um projeto de gestão a ser apresentado à população, Jorge condenou quem está colocando o carro à frente dos bois.

“Não se deve discutir nomes agora, o caminho é de pensarmos juntos um projeto pra Mossoró e no ano que vem buscar um nome ou nomes que possam defender esse projeto junto à população”, disse Jorge.

O presidente do PL rebateu o que trata de equívoco quando se trata de pensar projetos políticos pessoais nesse momento, argumentando que o primeiro passo é de buscar um conjunto de propostas que atendam os anseios da população e de uma futura gestão.

Jorge demonstra preocupação com a construção desse projeto para Mossoró. Ao longo da entrevista concedida ao repórter Joãozinho GPS, o empresário elencou a necessidade de abrir de imediato um diálogo com os diversos setores da cidade e com a população para conhecer as aspirações e os problemas.

Falando em nome da parceria política que tem com Tião Couto, ex-candidato a prefeito e com o qual Jorge compôs chapa como vive, ele não descartou e nem assentiu sobre a possibilidade dele ou Tião saírem candidatos em 2020. “O caminho seria montar o projeto e depois vermos através de pesquisas aquele que teria o melhor perfil para conduzir o projeto”, esclareceu.

O empresário deixou claro a necessidade de união dos partidos e pessoas que desejam defender um projeto alternativo para Mossoró. Ele entende que o que deveria  unir os partidos deveria ser o conteúdo do projeto, a defesa de uma Mossoró melhor.

VEREADOR RENATO ALVES COMEMORA CONVOCAÇÃO DE VIGIAS EM PAU DOS FERROS

05 de Julho de 2019 | 12:11hs
Imagem [0]

Depois de longas conversas e muitas promessas, chegou o dia tão sonhado pelo vereador Renato Alves, do município de Pau dos Ferros. 

O Vereador, que também é vigia municipal, travava nos bastidores uma luta diária para ver convocados os vigias aprovados no último concurso municipal, que corriam o risco de perderem suas vagas em razão da vigência do concurso, que irá expirar em setembro de 2019. 

Segundo o Vereador, "existiam outras pessoas em cargos comissionados exercendo a função de vigia na garagem da prefeitura, no ginásio de esporte do Riacho do Meio e do Perímetro. Com essa convocação, se corrige uma  injustiça com os meus futuros colegas vigias". 

Os novos vigias foram convocados pelo diário oficial do município para comparecerem à sede da Prefeitura Municipal e apresentarem a documentação necessária ao provimento do respectivo cargo. 

Por fim, segundo o Vereador Renato Alves, a luta continua  e o objetivo agora é conseguir a convocação dos demais aprovados.

PL REUNIRÁ MULHERES DO PARTIDO EM ENCONTRO PROGRAMADO PARA SÁBADO EM NATAL

04 de Julho de 2019 | 11:40hs
Imagem [0]

O Partido Liberal, ex-PR, vai realizar seu primeiro encontro do ano. O PL Mulher/RN vai acontecer no sábado, dia 06 de julho, em Natal, a partir das 9h no Arena Music, antigo Gilson Buffet. 

O evento será dirigido pelo presidente estadual do PL, deputado federal João Mai e pela presidente do PL Mulhe - prefeita Shirley Targino. 

A programação consta de uma palestra do Dr. Abraão Lopes, professor de Direito Eleitoral, sobre as regras vigentes para as eleições de 2020 e os atos de filiação da vereadora de Natal,  Ana Paula, dos ex-vereadores Júlio Protásio, Joanilson de Paula Rego e Emanoel do Cação, além de mais de 50 pré-candidatos a vereador em Natal.

SINDICATO NÃO ACEITA CALENDÁRIO DO GOVERNO COM PAGAMENTO DENTRO DO MÊS

04 de Julho de 2019 | 11:39hs
Imagem [0]

Confesso que não entendi essa dos servidores se reunirem e rejeitarem o calendário de pagamento anunciado pelo Governo do Estado.

Ora, o Estado anunciou que paga uma parte do funcionalismo no meio do mês e o restante no final do mês, e mesmo assim o sindicato fica contra?

Contra pagamento em dia?

Em não aceitando o calendário anunciado, o sindicato propõe o que?  Que se pague atrasado? Ou que se pague antes do mês trabalhado?

Taí uma coisa que não entendi mesmo.

CARLOS AUGUSTO QUE CONTABILIZAR O MOSSORÓ CIDADE JUNINA PARA RECUPERAÇÃO DA IMAGEM DE ROSALBA

02 de Julho de 2019 | 15:27hs
Imagem [0]

O Mossoró Cidade Junina tem o poder ou não de melhorar a imagem eleitoral da prefeita?

Faço essa pergunta ao leitor por um motivo: diversas vezes jornalistas reportaram que o ex-deputado Carlos Augusto Rosado costuma dizer que basta chegar o MCJ que a popularidade de Rosalba vai para as alturas.

Creio que lá no passado esta maneira de Carlos Augusto ver a influência da festa no voto do eleitor estava correta? Até mesmo porque ele fez a afirmativa baseado das pesquisas que manda realizar sobre a imagem da prefeita.

Contudo, os tempos são outros.  A globalização fez o mundo ficar menor, a instantaneidade da notícia, a liberdade de expressão aflorando nas redes sociais, são elementos que mexeram muito com a cabeça do eleitor.

Na eleição passada aqui no nosso Estado, olhando os resultados para deputado estadual, se percebe claramente que a maioria dos eleitos não teve a votação que esperava. Os apoiadores locais tiveram muitas dificuldades de entregar os pacotes “negociados”.

O cabresto arrebentou.

A quantidade de informações que chega diariamente para o eleitor, mesmo o mais distante, faz com que ele não fique tão carente da influência de terceiros.

É claro que ainda estamos a anos-luz do voto sem influência econômica, plenamente livre e consciente.

Mas, não é mais como era antes.

Então, respondendo se o MCJ faz com que a população esqueça os problemas da gestão,  avalio que hoje não mais.

Explico: a convivência real e diária com escolas sucateadas, serviços de saúde deficitários, lixo acumulado, ruas esburacadas, setores sem iluminação, esgoto a céu aberto, pagamentos atrasados, não serão relevados simplesmente porque a prefeita fez uma grande festa.

A quantidade de informações que o cidadão dispõe faz com que ele tenha elementos para pesar bem e distinguir suas carências pela ausência de gestão e seus momentos de lazer com festas.

O eleitor que tem uma experiência negativa com a administração municipal, que convive com algo real que lhe deixa insatisfeito, dificilmente mudará de opinião devido a festa do MCJ. Sem que seu problema tenha sido resolvido.

Ledo engano acreditar que basta fazer a festa e sair para o abraço do povo.

Carlos Augusto que sempre faz pesquisas antes e depois do MCJ deve estar lendo os relatórios agora e vendo  que essa realidade não é mais a mesma.

Os tempos são outros.

CANDIDATO A DESEMBARGADOR VISITA O BLOG E MOSTRA CONFIANÇA NA ELEIÇÃO

02 de Julho de 2019 | 15:26hs
Imagem [0]

O blog recebeu hoje a visita do advogado Eduardo Gurgel, candidato a desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região pelo quinto constitucional. Ele esteve acompanhando pelos advogados Canindé Maia e  Edmar Vieira, que o apoiam na candidatura.

Com 19 anos de carreira jurídica dedicada exclusivamente à advocacia, Eduardo Gurgel apresenta um histórico profissional que o credencia para a vaga em disputa.

Ele é graduado pela UFRN, foi professor da UnP e é sócio proprietário do escritório Eduardo Gurgel Advogados Associados.

Ao blog ele disse que tem visitado os escritórios de advocacia, apresentado sua história e pedido apoio. Eduardo revela que pelos apoios já recebidos há uma expectativa muito positiva de obtenção da vaga.

O futuro desembargador será escolhido em votação no dia 12 de julho próximo. O número de Eduardo Gurgel é 53.

CANDIDATO A DESEMBARGADOR DO TRT APRESENTA PROJETO WHATSSAP INSTITUCIONAL

02 de Julho de 2019 | 15:25hs
Imagem [0]

Candidato a desembargador do Tribunal Regional do Trabalho da 21 Região, o advogado trabalhista Augusto Maranhão apresentou um novo projeto: Whattsap Institucional.  Em vídeo divulgado nas redes sociais, Augusto Maranhão explica que a proposta contemplará uma conta comercial do aplicativo de mensagens onde os advogados e as partes poderão se comunicar diretamente com o Poder Judiciário.  Com o Whattsap Institucional os advogados poderão, inclusive, pedir prioridades, agendamentos e distribuição de memoriais. “Esse projeto vai facilitar muito o trabalho do advogado, especialmente àquele do interior, que muitas vezes precisa se deslocar até a capital para realização de atos simples. Serei um desembargador acessível”, destacou Augusto Maranhão.

AFINAL O QUE OS JORNALISTAS DO THE INTERCEPT ESTÃO FAZENDO É JORNALISMO OU NÃO?

02 de Julho de 2019 | 09:47hs
Imagem [0]

Há uma discussão muito grande no País sobre os conteúdos dos vazamentos de conversas em redes sociais privadas envolvendo os procuradores da Lava-Jato e o ex-juiz Sérgio Moro.

O site The intercept Brasil vem divulgando este conteúdo e por isso mesmo seus editores têm sido alvo de ataques os mais diversos, inclusive do próprio ex-juiz Sérgio Moro que identifica os jornalistas como aliados de criminosos.

O ponto a ser discutido é se o que os jornalistas do The Intercept estão fazendo é jornalismo ou não.

O fato jornalístico é todo aquele acontecimento que tem repercussão na vida das pessoas em geral e que merecem ser informados para o devido conhecimento.

O jornalista tem obrigação de reportar os fatos que chegam ao seu conhecimento e tem essa repercussão na sociedade em geral.

A Constituição assegura ao jornalista o direito de preservar sua fonte, ou seja, se o informante não quer ser identificado perante o público, o jornalista tem garantia constitucional de preservação da fonte.

Quanto à possibilidade de a fonte ter obtido as informações que repassou ao jornalista de forma ilegal, não cabe ao jornalista responder por isso. Ele não tem obrigação sobre isso.

É bom lembrarmos aqui que boa parte dos fatos que chegaram ao conhecimento público durante a operação Lava-Jato foram oriundas de vazamentos ilegais. Processos que estavam sob sigilo, áudios protegidos, autoridades que por lei não podiam ser gravadas e captações obtidas sem a devida autorização legal.

Ninguém se importou muito se a fonte da notícia obteve de forma ilegal os áudios e documentos que renderam as principais manchetes da Lava-Jato. O que interessava era o conteúdo relevante.

O próprio ex-juiz Sérgio Moro disse em entrevista a Pedro Bial depois da divulgação do áudio de Lula e Dilma que o importante ali não era a forma de obtenção do áudio, mas o seu conteúdo.

Voltando então para a questão do The Intercept e o jornalismo que o site está fazendo. Os editores do site estão protegidos por lei e estão fazendo jornalismo. Eles têm obrigação profissional de reportarem os fatos que chegaram ao seu conhecimento.

O que é mais importante nesse momento é uma grave ameaça que se faz a liberdade de imprensa quando se tenta de toda forma calar o The Intercept ameaçando seus editores e seus familiares.

Não estou aqui nem discutindo o conteúdo das conversas.

Sim, porque é estranho a falta de investigação dos órgãos federais sobre os conteúdos divulgados, a investigação está restrita apenas a identificar quem vazou os áudios. Ninguém está preocupado como de repente os muitos promotores citados nos vazamentos e o próprio ex-juiz, todos sem exceção, relatam que apagaram tudo dos seus celulares e nenhum deles se dispôs a entregar o celular para a devida análise técnica.

O eixo da discussão é ardilosamente desviado para questionar os jornalistas e suas revelações. A estratégia é desqualificar a fonte e esquecer o conteúdo. Não foi assim que funcionou na Lava-Jato. Os promotores e o e ex-juiz estão experimentando a própria estratégia da qual antes se beneficiaram.

Chamo a atenção para uma discussão do que é importante, o conteúdo divulgado. Se houve ou não conluio do juiz com os promotores para direcionar a Lava-Jato no rumo de determinados alvos.

Combater a corrupção no Brasil é importante, necessário. Mas, isso não pode ser feito à margem da lei.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br