NÃO DEVERIA EXISTIR COTA DE 30% DE VAGAS PARA CANDIDATURA DE MULHERES. NEM PRA NINGUÉM.

15 de Fevereiro de 2019 | 11:10hs
Imagem [0]

O caso da candidata a deputada federal de Pernambuco, do PSL, Maria de Lourdes Paixão, que recebeu do seu partido 400 mil reais para a campanha e obteve apenas 273 votos, é apenas o começo de um fio cujo novelo está recheado de candidaturas fakes.

A reportagem da Folha de São Paulo fez um levantamento de 53 candidatos que receberam mais de 100 mil reais dos seus partidos e obtiveram menos de 1.000 votos.

Dos 53 casos investigados, 49 eram candidatura de mulheres.

Só não enxerga quem não quer. Em regra, boa parte das candidaturas femininas nos partidos são “arranjos” para bater a meta dos 30% exigidos pela lei.

Aliás, digo desde já que sou contrário a esse percentual para mulheres. Sou contra qualquer percentual para mulheres, para evangélicos, ´para gays, ´para negros, para qualquer segmento populacional.

Exercer mandato político, no meu entender, deveria ser uma vocação. Se candidata quem quer.

E para vocação não existem cotas. São naturais.

Pouco importa se 100% dos candidatos são homens ou são mulheres. São homossexuais ou héteros. Todos são livres para se candidatar ou não. Não tem cotas pra isso.

Aí vem um “iluminado” e coloca na lei que 30% das candidaturas tem que ser de mulheres. Em regra, os partidos não encontram tantas candidatas e precisam “inventar” pra completar a cota.

Dá nisso aí que relato acima, um grande número de mulheres com candidaturas laranjas.

Servindo de trampolim para o dinheiro do fundo eleitoral terminar no colo dos candidatos homens.

Aliás, esse fundo eleitoral... outra patifaria.

GESTÃO DE FÁTIMA BEZERRA DECEPCIONA NOS QUESITOS INOVAÇÃO E TRANSPARÊNCIA

15 de Fevereiro de 2019 | 10:42hs
Imagem [0]

Alguns interlocutores me perguntam diariamente se estou decepcionado com o governo de Fátima Bezerra no Rio Grande do Norte.

Decepcionado não é a palavra adequada. Esperava mais dela. Esperava uma gestão diferente.

A grosso modo. Fátima fez a mesmíssima coisa que todo governante faz ao assumir o governo. Usa o retrovisor para falar  do Estado quebrado que encontrou e adota algumas medidas de urgência a título de equilibrar as contas públicas, mas em nada diferente dos anteriores.

Parece um filme reprisado.

Para buscar dinheiro novo está percorrendo o mesmo caminho que Robinson Faria e Rosalba Ciarlini tentaram trilhar no final da gestão. Vai comer na frente, antecipando receitas e pagando altas taxas de juros em negociações com os bancos.

Com relação aos salários atrasados, foi pelo mesmo caminho que Rosalba fez em Mossoró ao assumir a Prefeitura na atual gestão, pagou pra frente e colocou na geladeira o pra trás. E que tanto o petismo criticou.

Minha maior queixa é a negligência com a transparência. Não vi até agora Fátima abrir um diálogo franco com a sociedade para deixar claro sobre seus planos a curto, médio e longo prazo. A verdadeira situação do Estado foi apresentada, em detalhes, apenas aos deputados. A população apenas ouviu dizer.

Para concluir, a resposta recente dada por um integrante do governo a um sindicalista na mesa de negociação diante da proposta de nomear para cargos em comissão os servidores de carreira, revela que a mentalidade ainda é da velha política.

“Esses cargos estamos guardando para negociar com os deputados”.

O LUCRO DOS BANCOS NO BRASIL É UM TAPA NA CARA DE UMA POPULAÇÃO COM 14 MILHÕES DE DESEMPREGADOS

15 de Fevereiro de 2019 | 10:41hs
Imagem [0]

Os 4 maiores bancos no Brasil lucraram juntos em 2019 a mixaria de 69 bilhões de reais. Aumentaram seus lucros em 20% em relação ao que já haviam ganho em 2017.

Os 4 maiores bancos são:  Brasil, Bradesco, Itau e Santander.

Todo ano os bancos batem recorde de lucros.

E todo mundo acha muito normal. E ninguém se pergunta o porquê desse lucro exorbitante numa País com uma economia em frangalhos, crescimento do PIB irrisório, 14 milhões de desempregados e juros de cartão de crédito na casa dos 300% ao ano.

Enquanto isso a indústria definha, o comércio e os serviços sobrevivem a duras penas.

As leis de mercado ou mercado das leis (como diz Reinaldo Azevedo), que dita as regras atuais, faz com que todos olhem de lado para a farra dos bancos e a vida segue em frente.

É MUITO CEDO PARA O CLÃ BOLSONARO ACUMULAR TANTAS DESAVENÇAS PALACIANAS

14 de Fevereiro de 2019 | 09:23hs
Imagem [0]

Existem dois tipos de brigas que geralmente terminam mal.

A que envolve família e a que envolve alguém que sabe nossos segredos.

Gustavo Bebianno, secretário-geral da presidência da República se envolveu nas duas ao mesmo tempo.

Está em briga aberta com Carlos Bolsonaro, aquele que o presidente chama de “meu filho pitbul” e por consequência está em linha de confronto direto com Jair Bolsonaro, de quem coordenou a campanha à presidência e esteve à frente de toda articulação nos últimos dois anos.

Penso aqui com meus botões que os três filhos de Bolsonaro ainda vão lhe trazer problemas futuros. A exemplo do pai, eles não levam desaforo pra casa, são cabeça quente e acham que são co-presidente do País junto com o pai.

Estamos apenas no segundo mês do governo e o clã Bolsonaro já se meteu em várias brigas. Não só com adversários, com os aliados também. É muito cedo para tantos confrontos.

A postagem de Carlos Bolsonaro chamando Bebianno de mentiroso, com aval do pai, significa provavelmente a demissão futura do secretário-geral.

Significa também mais um insatisfeito que vai jogar no time dos ex-aliados.

Só que esse sabe muito segredos.

TRÊS VEREADORES MOSSOROENSES JÁ ABRIRAM MÃO DA VERBA DE GABINETE

14 de Fevereiro de 2019 | 09:22hs
Imagem [0]

Três vereadores mossoroense já anunciaram oficialmente que abrem mão da verba de gabinete e do auxílio combustível na Câmara Municipal de Mossoró.

Raério Cabeção, Emílio Ferreira e Gilberto Diógenes.

Tanto a verba de gabinete como a questão do combustível resultaram em polêmicas dentro do Legislativo com ampla repercussão na comunidade.

Sugiro que os vereadores que estão abrindo mão desses benefícios o façam em prol da construção da sede própria da Câmara.

Imaginemos se todos abrissem mão.

A verba de gabinete + o combustível  x 21 vereadores x 12 meses no ano. Totalizaria quase um milhão e meio de reais destinado a construção da sede própria.

Fica a sugestão.

PREFEITURA DE MOSSORÓ DÁ EXEMPLO DE DESPERDÍCIO

14 de Fevereiro de 2019 | 09:21hs
Imagem [0]

Qual seria a dona de casa que após passar uma noite com intensa chuva, amanheceria o dia seguinte com a mangueira ligada aguando seu jardim?

Pois foi o que vi hoje cedo quando passei na rua João da Escóssia e me deparei com um caminhão pipa e os funcionários da Prefeitura de Mossoró fazendo a aguação  do canteiro central.

Que por sinal ainda apresentava sinais de estar alagado da chuva da noite de ontem.

PACOTE ANTICRIME DE SÉRGIO MORO NÃO PASSA NEM PERTO DE PUNIR POLICIAL ASSOCIADO AO CRIME

13 de Fevereiro de 2019 | 19:23hs
Imagem [0]

Tenho umas críticas ao pacote anticrime que o ministro Sérgio Moro apresentou ao Congresso e espera agora que a nossa legislação seja alterada para uma ação mais rigorosa no combate a violência.

Minha maior crítica é que o pacote não abordou uma das principais causas do aumento da criminalidade.

Estou falando da associação criminosa de policiais corruptos com as facções e com o crime organizado em geral. Principalmente no tráfico de drogas.

Assistimos todos os dias na TV o relato sobre a sociedade entre setores de segurança com o crime, de dentro dos quartéis, policiais com vida de luxo totalmente incompatível com seus salários.

Deixo bem claro que acredito na grande maioria de policiais que são bons e corretos, mas não podemos fechar os olhos para o alarmante quadro de quadrilhas sendo acobertadas em acordos feitos dentro dos quartéis.

No Rio de Janeiro tem sido comum a descoberta deste tipo de associação. Os bandidos gastam uma nota preta para manter a polícia longe.

E em que o pacote de Moro endurece o jogo contra o que podemos chamar de “policial bandido”?

Não passa nem perto do tema. É como se não existisse.

Lamento, porque se trata de algo grave e causa importante no aumento da violência no nosso Brasil.

 

CPIs DE BRUMADINHO NA CÂMARA E NO SENADO SÓ VÃO SERVIR PARA "LIVES" E NADA MAIS

13 de Fevereiro de 2019 | 19:22hs
Imagem [0]

Vi hoje no noticiário nacional que tanto o Senado como a Câmara dos Deputados vão abrir duas CPIs para apurar a tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais.

Tenha santa paciência.

Sou contra.

Pura balela, CPIs criadas para dar holofotes a um bando de políticos que com certeza tem coisa melhor para fazer. Mais produtiva.

Antes que me ataquem pela minha posição, calma, deixe eu explicar.

O Ministério Público está investigando. Os órgãos de fiscalização estão investigando. O Judiciário está atento as apurações e tomando medidas cabíveis.

E vocês sabem o máximo em que pode resultar uma CPI na Câmara ou no Senado?

Eles investigam, levantam dados e depois enviam tudo para o Ministério Público e para o Judiciário tomarem as medidas cabíveis, uma vez que nem Senado ou Câmara tem poder de polícia ou de julgamento.

E isso o MP já está fazendo.

As CPIs são instrumentos de investigação do Legislativo na seara política. Nada mais que isso.

Ora, se o MP tá atuando, se o Judiciário tá atento, se os órgãos de fiscalização está na ativa, que diabos vão fazer os senadores e deputados nessa história?

Vão fazer discursos inflamados, encher de “lives” as redes sociais, render postagens dos bravos políticos indignados.

Portanto, a CPI não vai dar em lugar nenhum, apenas teatro.

TIÃO AINDA É UM CANDIDATO VIÁVEL, COMETEU ERRO POLÍTICO, MAS TEM IMAGEM SEM ABALO

13 de Fevereiro de 2019 | 19:21hs
Imagem [2]

Já que respondi aos leitores que indagavam sobre a possibilidade de eleição de Alysson Bezerra para prefeito em 2020, aproveito e vou responder também aos que me perguntam sobre o futuro de Tião Couto.

A frase mais comum que tenho ouvido é que o erro político de Tião ao se aliar a Robinson Faria, fazendo dobradinha no ano passado enterrou a trajetória política do empresário.

Não penso assim.

Vou explicar.

Não há dúvidas que Tião cometeu um erro grave ao aceitar o convite para ser vice na chapa de Robinson. E pagou um preço alto em Mossoró por essa escolha.

Contudo, acho o erro político bem menos gravoso do que um erro no campo moral ou um erro legal.

Tião errou politicamente, mas não cometeu crime algum que maculasse sua imagem.

Podem até acusa-lo de ter se aliado politicamente a pessoa errada, mas não poderão acusá-lo de ter roubado, de ter cometido ilegalidade. Em tempos em que ser ficha limpa faz diferença ao eleitor, Tião continua com seu currículo sem mancha.

Partindo dessa premissa, julgo que uma disputa eleitoral que coloque mais uma vez frente a frente Tião e Rosalba, tende a ser julgada pelo eleitor pelo confronto de modelos de gestão.

Tião mais uma vez defendendo o estado gerido de forma profissional e eficiente e Rosalba defendendo seu carisma e modelo de gestão popular.

Minha dúvida é apenas se Tião terá interesse ou não em continuar sua tentativa de se inserir na vida pública ou se desistiu de vez desse propósito.

ALYSSON PODE SER CANDIDATO A PREFEITO EM 2020, MAS AINDA TEM QUE PROVAR QUE É DIFERENTE

13 de Fevereiro de 2019 | 19:18hs
Imagem [0]

Vez por outra escuto dos interlocutores sobre a hipótese do deputado estadual Alysson Bezerra ser candidato a prefeito de Mossoró no ano que vem.

É uma possibilidade.

O Solidariedade já o lançou, mesmo que ele diga que não está pensando nisso.

As pessoas querem ler aqui nesse espaço se eu acho Alysson viável ou não.

Olhe, essa é uma questão que depende muito das circunstâncias do período eleitoral. Trata-se, sem dúvida, de um nome que está colocado pelo cenário político atual.

Acho também que Alysson se elegeu deputado beneficiado por um histórico que agradou boa parte do eleitorado mossoroense, um rapaz de origem humilde, que batalhou na vida, boa índole e bem articulado nas ideias.

Porém, o cargo de deputado estadual lhe cerceia daqui pra frente o discurso sobre a origem humilde.

Alysson não será mais o jovem de emprego público conquistado através de concurso e graças aos seus esforços. Ele será o deputado de mandato, com um excelente salário no bolso, beneficiário de mordomias inerentes ao cargo, com motorista a disposição e detentor de um novo status social.

O jovem deputado que se apresentou ao eleitor como novidade, agora vai ter que provar que faz a diferença, que não é apenas mais um. Mossoró ainda não o conhece bem. De 170 mil eleitores, 13 mil votarem nele. O universo de desconhecimento ainda é grande.

Evidente que somente isso não serão os fatores determinantes, mas terá influência no imaginário popular.

Há ainda de se observar o futuro da relação dele com as igrejas evangélicas  da região do grande Alto de São Manoel que tiveram papel preponderante na sua eleição.

Vale ressaltar que o desempenho do seu mandato, a performance de Rosalba na segunda metade de sua gestão e o humor do eleitorado à época da eleição, determinarão o futuro de Alysson na política de 2020.

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br