ELEIÇÕES 2020 EM UPANEMA: PREFEITO PRECISA ESCOLHER ENTRE RENAN E MONTHALGAN. OPOSIÇÃO TEM DOIS NOMES

20 de Setembro de 2019 | 10:32hs
Imagem [0]

Na cidade de Upanema, o atual prefeito Luiz Jairo (PL) não pode mais ser candidato. Ele cumpre o segundo mandato. Jairo decidiu buscar dentro de casa o nome para sua sucessão e faz acenos para Renan Mendonça, seu sobrinho e atual secretário municipal. Tudo indica que este será o nome do governismo em Upanema na eleição do ano que vem.

O problema maior para Jairo é segurar Monthalgan Fernandes, atual presidente da Câmara Municipal e que deseja disputar a Prefeitura com apoio do prefeito. Monthalgan já deixou claro que se não puder ser candidato no governismo, vai procurar outro caminho, deixando em aberto até a chance de apoiar alguém da oposição.

Na oposição, já se tem como certo que os  diretores da CLC, Célito e Jorge Luiz, não desejam ser candidatos, abrindo o espaço para uma nova via. Contudo, Jorge Luiz chegou a dizer a alguns interlocutores que o nome deve ser do MDB, não abrindo mão dessa condição para assegurar seu apoio.

Entre os nomes do MDB, despontam Joyle Fernandes e Manezinho, sendo mais provável que a escolha se dê através de pesquisa. Joyle sempre foi uma peça de bastidores, atuando na organização do partido, enquanto que Manezinho tem experiência eleitoral, chegando a ser vice-prefeito e já tendo disputado a Prefeitura.

Existem ainda o nome do empresário Marcone Messias pela oposição, mas sem aval da CLC, é provável que não permaneça entre os pré-candidatos.

O ponto maior de atenção nesse momento é para a solução que o prefeito Luiz Jairo dará para a escolha entre Renan e Monthalgan. Correndo o risco de perder o presidente da Câmara.

Na oposição, as fichas são apostadas entre Joyle e Manezinho.

A população assiste de longe, fazendo suas apostas e desde agora já começando a demonstrar suas predileções.

 

 

APÓS OS ÁUDIOS VAZADOS, A DESCONFIANÇA QUE REINA SOBRE AS DENÚNCIAS DA LAVAJATO CONTRA LULA

11 de Setembro de 2019 | 08:46hs
Imagem [0]

Quem se deu ao trabalho de ler a última denúncia da LavaJato contra o ex-presidente Lula, envolvendo uma suposta mesada que a Odebrecht pagaria ao seu irmão, Frei Chico, chega a uma única conclusão possível.

O enredo não cola mais.

Alega a força tarefa que o Frei Chico prestou serviço a Odebrecht, de fato e de direito, e ganhava 3 mil reais por mês para isso, mas quando Lula assumiu a presidência continuou a receber o pagamento, aumentado para 5 mil reais, mas desde então sem prestar serviços. E depois que Lula deixou a presidência, ainda por mais três anos, Frei Chico continuou a receber a mesada.

Para isso, Lula teria oferecido em contrapartida auxiliar a Odebrecht nos seus interesses na indústria petroquímica. Um negócio de bilhões de reais pelo qual o ex-presidente negociou uma mesada pro irmão.

Como prova se baseia apenas em delações de quem disse o que os procuradores queriam ouvir para verem suas penas atenuadas. Não cita uma ação concreto do ex-presidente para beneficiar a empresa que pagava a mesada de Frei Chico. Usa o fato indeterminado como elemento de comprovação do malfeito.

Não explica porque a Odebrecht continuou a pagar a mesada até três anos após Lula sair da presidência.

O mundo jurídico reagiu com ironia sobre a nova denúncia. Quem leu, indignou-se. Não houve uma única voz a favor do arrazoado apresentado pelos procuradores.

A denúncia é uma espécie de último suspiro, as derradeiras palavras de um moribundo.

Fosse há um ano atrás, a denúncia seria veiculada por dias da imprensa, teria sido comprada de porteira fechada pela mídia, repercutida como mais uma diabrura do ex-presidente petista.

Desta vez foi bem diferente. Nem que não existisse a completa carência de fatos e nexos na denúncia, ela foi recebida com um olhar de desconfiança, cheia de porquês, de senões e de serás.

Os procuradores da força tarefa da LavaJato, antes inquestionáveis, soberanos em tudo que revelavam, hoje recebem olhares desconfiados e enviesados.

Tudo que foi revelado até agora pelo The Intercept Brasil, no que ficou conhecido como VazaJato, desnudou interesses diversos daquele de fazer de justiça.

A nova denúncia contra Lula é um epitáfio. Aqui jaz...

O ABISMO ENTRE O QUE DIZ OS RELATÓRIOS OFICIAIS SOBRE A SAÚDE EM MOSSORÓ E A DURA REALIDADE

11 de Setembro de 2019 | 08:45hs
Imagem [0]

Na última prestação de contas que enviou a Câmara Municipal de Mossoró, semana passada, a prefeita Rosalba Ciarlini enviou um retrato da saúde pública na cidade como algo que anda, senão às mil maravilhas, mas normalíssimo.

Saúde não é problema em Mossoró, diz Rosalba.

O quadro é bem diferente na realidade do que o pintado em relatórios oficiais.

Os serviços especializados de saúde contratados pelo município completaram cinco meses em atraso.

Os serviços especializados da Maternidade Almeida Castro chegaram ao terceiro mês sem pagamentos.

A falta de medicamentos e equipamentos básicos nas Unidades de Saúde virou uma rotina que piora dia-a-dia.

As UPAs se arrastam sem o mínimo de estrutura.

Qualquer cidadão que quiser tirar a limpo a informação basta visitar uma UBS e verá.

A dúvida existente é apenas sobre há quantos Rosalba conseguirá ainda enganar com o discurso de que vai tudo bem?

Porque os que precisam do serviço e comprovam a realidade, esses já não podem mais ser enganados.

O PERIGO NÃO É CARLOS BOLSONARO DEFENDENDO DITADURA, MAS A QUANTIDADE DE PESSOAS PENSANDO COMO ELE

11 de Setembro de 2019 | 08:44hs
Imagem [0]

Segundo o vereador Carlos Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, as mudanças que o Brasil precisa não podem ser conquistadas pela via democrática. Não na velocidade que ele deseja.

Para a maioria a frase significa que Carlos Bolsonaro estaria evocando medidas antidemocráticas para acelerar as mudanças desejadas.

O próprio Carlos tratou de se explicar dizendo que apenas justificou porque as mudanças estão sendo lentas, porque num processo democrático, os diálogos são mais lentos.

Se não fosse Carlos Bolsonaro quem é, e feito o que faz, e dito o que diz, eu até aceitaria a explicação dele tentando se safar do que afirmou. Ele claramente defendeu que deve se atropelar a democracia se quisermos mudar o País.

Minha preocupação maior nem é com o que afirmou o filho de Bolsonaro, afinal já sabemos que ele é fã de uma barbeiragem verbal, me preocupa a quantidade de pessoas afirmando na internet que ele tem razão.

Descontados os robôs cibernéticos que replicam tudo que os Bolsonaros postam nas redes sociais, há ainda uma considerável fatia da população que bate palminhas para a afirmação do filho. Que acham mesmo que se for necessário, uma ditadura ala Bolsonaro, seria bem vinda.

É com esses que me preocupo. Porque os malucos do poder passam, mas o sussurro dos que pensam como eles, fica ecoando.

OPOSIÇÃO EM MOSSORÓ ARRASTA CONVERSAS SEM DEFINIÇÕES, ENQUANTO ROSALBA REINA SOZINHA NO PROCESSO SUCESSÓRIO

06 de Setembro de 2019 | 09:42hs
Imagem [0]

Os partidos de oposição em Mossoró que estão conversando acerca da construção de um programa de governo conjunto e que sinalize para um consenso em torno de um nome para disputar a Prefeitura, estão perdendo um tempo precioso para a fixação deste nome no imaginário popular.

Várias alternativas povoam as análises políticas dos formadores de opinião, contudo, de concreto mesmo, a informação que chega ao eleitor na ponta final, é de que Rosalba Ciarlini será candidata mais uma vez.

Entre os nomes da oposição, o senso comum que se tem é de é ou não é, pode ser, talvez, quem sabe.

Pode-se dizer com certeza que hoje só existe uma candidata no cenário e no qual o eleitor pode se fixar. Rosalba.

Entre os nomes da oposição (Jorge, Alysson, Isolda, Gutemberg, Cláudia, Dr. Daniel), todos sem exceção precisam ser trabalhados, moldados, divulgados. O eleitor não sabe definir o que pensam, o que defendem.

Sem um nome para ser levado aos formadores de opinião e ao conhecimento popular, perde-se um tempo valioso em que só uma postulante subiu no palco e reina por lá sozinha.

Além do conhecimento do grande público sobre quem será este ungido para o enfrentamento com Rosalba, perde-se tempo com a falta de defesa de propostas.

Embora seja aceitável que a escolha de um nome de oposição seja um processo complicado, lento, nada impede que os devidos sinalizadores indiquem o rumo que se está tomando.

Nada impede que se utilize o período pré-eleitoral, permitido por lei, para discutir propostas, explicar projetos e apresentar soluções. Tudo isso com a devida projeção do nome que se deseja promover.

Se deixar para abril ou maio do ano que vem a escolha deste nome, novamente a oposição fará uma campanha “apressada” correndo contra o tempo para divulgar propostas e pensamentos nos poucos minutos dos programas eleitorais. Lutando para chegar ao dia da eleição com ao menos o eleitor descobrindo que fulano é o candidato.

 

DEPOIS DE PROMETER QUE RECURSO EXTRA ERA PARA FOLHA EM ATRASO, FÁTIMA PEGA DINHEIRO PARA QUITAR FORNECEDORES

06 de Setembro de 2019 | 09:39hs
Imagem [0]

A governadora Fátima Bezerra está mudando seu discurso.

Quando assumiu o governo prometeu aos servidores que todo recurso extra que entrasse seria para pagar as folhas de pessoal em atraso.

No dia 10 de janeiro, Fátima e o Fórum de Servidores fecharam um acordo e uma das cláusulas desse acordo dizia: “O Executivo deve carimbar todas as entradas de recursos extras e antecipatórios para o pagamento dos salários atrasados”.

A conversa agora é outra.

Os recursos extras obtidos com a venda da folha para o Banco do Brasil serão usados para quitar o 13º salário deste ano. Nenhum centavo vai para atrasados.

Mas, a coisa ainda é pior.

Veja o que disse o secretário de Planejamento e Finanças do Estado, Aldemir Freire, em entrevista ontem:

O Governo do Rio Grande do Norte pretende pagar uma parte dos salários atrasados com os recursos da cessão onerosa do pré-sal. Outra parte desse dinheiro deverá ser usada para quitar dívidas com fornecedores”.

A parte do acordo que dizia que todo recurso extra seria para pagar atrasados virou letra morta.

Fátima não pretende cumprir o que ficou acertado com o Fórum de Servidores. Nem vai usar os recursos extras para pagar atrasados e ainda pretende usar parte do dinheiro para pagar fornecedores.

Diante do descumprimento, o Fórum permanece silencioso, quieto, quietíssimo.

ROSALBA VAI AO DNIT PARA TENTAR SE SAFAR DAS COBRANÇAS DA PROMESSA NÃO CUMPRIDA EM RELAÇÃO A AV. FRANCISCO MOTA

06 de Setembro de 2019 | 09:38hs
Imagem [0]

Depois deste blog cobrar o cumprimento da promessa feita pela prefeita Rosalba Ciarlini de duplicar a Avenida Francisco Mota, eis que a prefeita resolveu finalmente dar algum tipo de satisfação.

Em nota divulgada a imprensa no último dia 4, quarta-feira, Rosalba informou que esteve com a Superintendência Regional do DNIT, em Natal, e buscou se inteirar sobre o projeto de duplicação da Francisco Mota.

A nota da Prefeitura não informa nada de concreto:

“Solicitamos essa reunião porque sabemos que há projetos em andamento e a intenção é que o quanto antes possamos contar com obras estruturantes para melhorar as condições de vida de quem trafega pelo trecho, sobretudo nos 4,5 km de extensão, que inicia na Avenida Presidente Dutra e termina nas áreas residenciais”, explica Rosalba.

A sensação é que a informação de tão vazia que foi soa quase como um desencargo de consciência, uma desculpa esfarrapada para quando for cobrada novamente alegar que fez sua parte.

Observem que a notícia da Prefeitura não diz o resultado da conversa. Se a obra vai sair, quando vai sair, se existe projeto aprovado, se está nos planos ou não, a etapa em que se encontra, enfim, não diz nada com nada. Diz apenas que a prefeita foi lá.

A duplicação da Avenida Francisco Mota consta no programa de governo de Rosalba como compromisso firmado com a população. Até hoje não saiu do papel. Trata-se de uma obra importantíssima visto o tráfego pesado que detém hoje causando transtornos de toda ordem na área.

Somente depois de cobrada por este blog acerca das promessas não cumpridas, Rosalba se dispôs a ir ao DNIT saber da Francisco Mota, contudo não teve o interesse sequer de explicar a população qual o resultado dessa visita.

É COM A CAIXA ECONÔMICA QUE ROSALBA NEGOCIA EMPRÉSTIMO MILIONÁRIO DE R$ 190 MILHÕES

02 de Setembro de 2019 | 10:09hs
Imagem [0]

A entidade bancária que a prefeita Rosalba Ciarlini buscou para negociar um empréstimo milionário é a Caixa Econômica Federal.

As conversas estão adiantadas.

A Prefeitura quer pegar da CEF via financiamento bancário a importância de R$ 190 milhões de reais. Dando como garantia a própria arrecadação municipal. Comprometimento que deverá alcançar os próximos vinte anos.

Nas próximas semanas o pedido de autorização do financiamento chega ao plenário da Câmara Municipal de Mossoró para aprovação.

Todo o detalhamento de como será investido a dinheirama fará parte do projeto que será enviado ao Legislativo.

Tudo com muita pressa.

A intenção palaciana é que o dinheiro esteja disponível para ser usado nos primeiros seis meses de 2020.

No período pré-eleitoral.

APÓS OBTER 55% DOS VOTOS NA ELEIÇÃO, BOLSONARO COMPLETA OITO MESES COM 61% DIZENDO QUE SE DECEPCIONARAM

02 de Setembro de 2019 | 10:07hs
Imagem [0]

Foram quase 56 milhões de votos, 55% dos votos válidos dados a Jair Bolsonaro. Isso em 29 de outubro de 2018.

Completados oito meses de gestão, segundo o Instituto Datafolha, em pesquisa realizada em 29 e 30 de agosto, a confiança do brasileiro em Bolsonaro caiu drasticamente.

38% dos brasileiros dizem que a gestão do presidente é ruim ou péssima e 29% dizem que é boa ou ótima. 30% classificam como regular.

É a pior avaliação de um presidente em início de mandato desde a redemocratização.

Os números não deixam margem a nenhuma dúvida, Bolsonaro é uma decepção para a maioria dos brasileiros.

Para 61% dos brasileiros, Bolsonaro fez menos do que se esperava que ele fizesse. Ou seja, 61% que se decepcionaram porque esperavam mais.

55% dizem que em somente em algumas ocasiões ou em nenhuma ocasião o presidente age como deveria agir.

Agora, há uma perda de esperança, só 45% dos brasileiros ainda esperam que Bolsonaro faça uma gestão boa ou ótima.

OPINIÃO: a queda de Bolsonaro tem um único culpado: o próprio Bolsonaro. Com um comportamento inadequado, um governo confuso e envolvido em polêmicas idiotas, o presidente mostra até agora um despreparo para o cargo e um completo desconhecimento de gestão.

OPRIMIR QUEM PENSA CONTRÁRIO É ESTRATÉGIA QUE SÓ ATRAI PARA SI NOVOS OPRESSORES

02 de Setembro de 2019 | 10:04hs
Imagem [0]

Torcedor é levado pela polícia após ter gritado palavras de protesto contra Bolsonaro na arquibancada do jogo entre Corinthians e Palmeiras

Humorista Gustavo Mendes, discutiu com pessoas da plateia durante show em Minas Gerais, porque elas não aceitaram piadas e críticas contra Jair Bolsonaro.

Home invade palco durante show de Nando Reis em Mossoró após ele criticar Bolsonaro.

Campanhas sucessivas de cancelamento em massa de assinaturas são feitas contra revistas e jornais que criticam Bolsonaro.

Basta fazer uma pesquisa no google e nos deparamos com dezenas de casos de agressão relatados por pessoas que dizem ter sido alvo por criticarem o presidente Bolsonaro.

Surpresa nenhuma neste tipo de situação.

E o que mais me surpreende é que parte desta injunção pela reação física contra o pensamento contrário tem aval de quem deveria ser ministro da harmonia, defensor da mansidão e seguidor da paz.

Me surpreende e decepciona.

Não é distribuindo gritos, socos e ameaças para oprimir o pensamento de quem diverge de mim que triunfarei com meus argumentos.

O máximo que consegue é atrair outros trogloditas para o mesmo lado.

Um exército de trogloditas.

 

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br