QUEM FARÁ OPOSIÇÃO A ROSALBA EM MOSSORÓ?

25 de Abril de 2017 | 16:32hs
Imagem [0]

Quem fará oposição a Rosalba em Mossoró?

Terminando o quarto mês de gestão, Rosalba Ciarlini continua sem ninguém a lhe fazer oposição direta na cidade.

Navega em mares tranquilos.

Na Câmara Municipal a bancada de oposição é pacífica.

Na imprensa, ainda não surge nenhum órgão de mídia que assine em baixo uma crítica mais contundente a Rosalba.

Nos grupos políticos, a oposição a prefeita ainda não saiu dos bastidores.

ROBINSON JÁ NÃO FAZ CARA FEIA QUANDO LHE FALAM DE RETORNO À ASSEMBLEIA

25 de Abril de 2017 | 16:27hs
Imagem [0]

O governador Robinson Faria já recepciona com certa simpatia os comentários que lhe chegam ao ouvido falando sobre retorno a Assembleia Legislativa.

Sem querer adiantar posição sobre as eleições de 2018, Robinson apenas usa do bom senso para enxergar que entre as alternativas que estão a sua disposição, o retorno à Assembleia é pule de dez.

A dúvida do governador é a obrigatoriedade de renunciar ao Governo em abril do ano que vem, caso dispute uma eleição que não seja a reeleição de governador. Julianne Faria é seu plano B.

ENTREVISTA DE LULA AO PROGRAMA DE ANNA RUTH, EM NATAL.

25 de Abril de 2017 | 16:11hs
Imagem [0]

BLOG DIZ QUE ROGÉRIO MARINHO FOI HOSTILIZADO EM VOO

25 de Abril de 2017 | 16:04hs
Imagem [0]

Segundo o jornalista Lauro Jardim, em seu blog:

Rogério Marinho, relator da reforma trabalhista, foi interpelado ontem num voo de Natal para Brasília. Diante das críticas, vindas de um idoso, Marinho tentou rebater:

"Me impressiona um senhor da sua idade ser tão mal-educado".

Ouviu como resposta:

"Me impressiona alguém jovem trabalhar para tirar direitos trabalhistas".

O voo aplaudiu a resposta.

PREFEITURA REGULARIZA PAGAMENTOS DAS COOPERATIVAS MÉDICAS

25 de Abril de 2017 | 13:08hs
Imagem [0]

A Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM) regulariza neste mês de abril o pagamento de todas as cooperativas médicas que prestam serviços ao município por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Além de pagar a primeira parcela do acordo judicial firmado com as cooperativas na Justiça Federal e na 1ª Vara da Fazenda Pública, a PMM também cumpre o compromisso de pagar em dia a produção do mês.

Somente neste mês de abril, o município vai repassar quase R$ 2 milhões às cooperativas entre acordos judiciais e produção atual. Boa parte desse valor é referente às dívidas herdadas da gestão passada.

Só para pagar dívidas do mês de Dezembro de 2016, a PMM teve que desembolsar R$ 805.954,87 nessa segunda-feira (24) em favor das cooperativas médicas. Para o pagamento da produção de março deste ano, o município repassou mais R$ 754.572,05, em favor da Neo Clínica, Núcleo de Ginecologia e Obstetrícia (NGO) e Clínica de Anestesiologia de Mossoró (CAM).

O município fará ainda o pagamento da primeira parcela do acordo judicial feito com a Sama (Serviços de Assistência Médica e Ambulatorial LTDA), no valor de R$ 324.750,45, utilizando valores bloqueados pela Justiça em outros processos relacionados a procedimentos cirúrgicos e de outra natureza, cuja obrigação já fora satisfeita. Esse acordo envolve uma dívida de R$ 3 milhões, incluindo os meses de outubro, novembro e dezembro de 2016.

"Com os acordos feitos para pagamento de dívidas da gestão passada e a regularização dos repasses da produção mensal, nenhuma cooperativa médica tem, hoje, pagamento em atraso com a PMM", destacou Renan Meneses da Silva, procurador do Município.

 

SOMOS VÍTIMAS: SAI A PROPINA DA ODEBRECHT E ENTRA A MANIPULAÇÃO DA MÍDIA

24 de Abril de 2017 | 19:22hs
Imagem [0]

Nas águas passadas a Odebrecht pagou para obter leis do seu interesse, pagou pra ganhar bilhões, pagou pelos contratos, pagou pelas opiniões, pagou pra usar os poderes como marionetes.
Nas águas atuais a Odebrecht não tem mais o poder de fazer a barganha. Foi descoberta e foi substituída.
Sai a empreiteira e entra a poderosa mídia, a Rede Globo, a Veja, Isto É, Estadão, Folha, O Globo, os grandes portais de notícias.
Com a mesma capacidade que a Odebrecht tinha antes.
Que nos empurra reformas mal explicadas que nos chegam camuflada de notícias. Que manipulam deputados e senadores, que manipulam as opiniões, que passam por cima do poder do voto, enfim, que se arvoram na esteira da Lava-Jato para fazer o que bem entende.
Saem os lobistas doleiros e empresário e entram as edições do Jornal Nacional, as capas da Veja, os elaborados textos opinativos do Estadão e da Folha. Criando suas realidades virtuais.
Saiu a propina carregada em malotes e sacolas, depositadas no caixa 2 ou em contas no exterior e entra a delação direcionada, as meias verdades, o vazamento seletivo, as edições parciais.
Não somos mais vítimas da Odebrecht e outras construtoras que assaltaram o País. Somos vítimas de novos assaltantes, que com sua informação direcionada, assalta o nosso direito a informação correta e assalta a nossa liberdade de pensar.
Uma tão danosa quanto a outra.
Uma escancarada e sentenciada. A outra camuflada e livre para voar.

TANTO QUE APRENDI EM ANOS DE CONVIVÊNCIA COM DR. MILTOM

24 de Abril de 2017 | 18:55hs
Imagem [0]

Estive com Dr. Milton há pouco mais de um mês atrás.

Participamos juntos de algumas reuniões para planejar a campanha de reeleição do reitor da UERN, Pedro Fernandes.

No lançamento da campanha de Pedro, no pátio da reitoria, havia me dito que precisava conversar uns assuntos comigo.

Fui a TCM conforme data e horário combinado por ele.

Eram três projetos que desejava partilhar comigo.

O primeiro, consultou-me novamente sobre a implantação de um jornal impresso em Mossoró. Achava que havia um vazio na cidade.

Era a terceira ou quarta vez que me consultava sobre isso. Repeti o que dissera nas vezes anteriores, que era inviável, prejuízo certo, alto custo de manutenção e pouquíssimas fontes de receitas. Nesse assunto, era visível seu desejo de ter um jornal, mas sempre considerava minhas ponderações e recuava ou adiava o propósito.

Pensamos então na criação de um portal de notícias. Falei sobre as mudanças, modernidade, novas ferramentas, gostou do que ouviu e pediu que fôssemos conversando sobre a execução do projeto.

Falamos de outros assuntos, que eram de natureza empresarial, com os quais passei a trabalhar, mas que não há necessidade de relatar, a exceção da implantação do jornal que fiz questão de relatar para demonstrar mais uma vez a paixão que Dr. Milton tinha pela comunicação.

Nas suas coisas simples, outra que me marcou foi quando ocorreu a primeira eleição de Pedro Fernandes a reitor da UERN, na oportunidade em que me apresentou a Pedro e disse que estava me indicando para conduzir a campanha a reitor e que eu era o “craque” no assunto e que Pedro podia fechar os olhos e me deixar conduzir. Senti o nível de confiança que depositava em mim.

Numa viagem a Foz do Iguaçu, eu, ele e Dona Zilene, tratou-me como a um filho. Lembro-me que estávamos os três visitando as lojas no lado paraguaio, quando ele percebeu que eu não estava comprando nada, chamou-me do lado e disse: “se estiver sem dinheiro para as compras, eu tenho algum aqui comigo é só falar”. Assim como um pai fala para um filho.

Gostava de conversar sobre política comigo. Foram inúmeros os bate-papos que tivemos sobre política de Mossoró, do Estado e do Brasil. Inclusive nessas conversas mais recentes fez várias ponderações sobre nosso momento político em Mossoró, que me resguardo de expô-las, pois me disse em confiança pessoal.

Nos anos em que o assessorei na UERN, costumava me chamar a sua sala onde conversávamos demoradamente.  Na recepção, a secretária já avisava aos demais que aguardavam para falar com ele, que a conversa comigo iria demorar.

Já tinha certa convivência com Dr. Milton desde o tempo em que ele ocupava posição na Fundação Santa Luzia, mantenedora da Rádio Rural, local onde eu trabalhava desde 1987. Passei a ficar mais próximo quando atuei na coordenação de sua campanha a reitor na UERN, em 2005 e na reeleição em 2009. Convidou-me para dirigir a Agência de Comunicação da UERN na sua gestão. Depois me fez convite para implantar o jornalismo no Canal 10 da TCM.

Sempre ficava impressionado com o jeito simples com que tratava as pessoas. No seu gabinete na UERN atendia a todos. Tinha a incrível habilidade de dar um não com aparência de sim.

O assisti comandando dezenas de reuniões. Incansável em ouvir a todos. Habilidoso. Quantas e quantas reuniões em que as tensões aumentavam, principalmente na UERN, o clima parecia que ia pegar fogo, e ele lá, calmo, conduzia até que chegavam ao final com sorrisos nos rostos.

Uma só vez o vi bravo. Numa reunião no Sindicato da Indústria do Sal. Eu estava assessorando os salineiros nessa ocasião. Ele indignado com a indefinição de certos posicionamentos. Alterou a voz para “puxar” as orelhas de alguns. No silencia de todos, o respeito que lhe devotavam.

A formação e experiência médica ensinaram-lhe a lidar com as doenças e problemas da mente humana.

Forneceu-me dezenas de ensinamentos nessa nossa convivência. Inúmeras vezes confidenciou-me assuntos e deu-me orientações.

Estava em viagem, bem distante de Mossoró, quando sábado à tarde me chegou a notícia do seu falecimento. Acompanhava notícias de sua internação através de dona Zilene.

Num último e-mail que me enviou, alguns dias antes de se internar, relatou que tinha voltado de uma viagem de SP um pouco doente e que ficaria alguns dias se tratando. Não imaginava o desdobramento que teria essa doença.

Meu coração se entristeceu. Sensação de vazio.

Foi um privilégio desfrutar de sua amizade, sua convivência e aprender com ele.

A morte veio, mas não é o final das coisas, apenas um novo começo, o começo da vida eterna no Paraíso.

AGÊNCIA DA ONU DIZ QUE 20 MILHÕES PODEM MORRER DE FOME NA ÁFRICA

24 de Abril de 2017 | 17:39hs
Imagem [0]

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, afirmou que "se nada for feito" pela comunidade internacional nos próximos seis meses, cerca de 20 milhões de pessoas podem morrer de fome nos próximos seis meses em quatro países africanos: Iêmen, Nigéria, Somália e Sudão do Sul. As informações são da ONU News.

Ele fez a declaração na abertura da reunião do Conselho da FAO nesta segunda-feira (24), em Roma. Segundo Graziano , é necessária uma ação urgente, pois "a fome não apenas mata pessoas, mas contribui para a instabilidade social, e perpetua um ciclo de pobreza e a dependência de ajuda que perdura décadas".

No encontro da agência da ONU, que vai durar duas semanas, os membros do Conselho da FAO serão informados sobre a extensão das crises de fome e as medidas que devem ser adotadas para prevenir essa catástrofe.

TEMER VAI PEDIR A MINISTROS EMPENHO NA APROVAÇÃO DE REFORMAS

24 de Abril de 2017 | 17:30hs
Imagem [0]

O presidente Michel Temer disse hoje (24) que vai pedir aos ministros que trabalhem pela aprovação das reformas trabalhista e da Previdência, em discussão na Câmara dos Deputados. Temer deve se reunir com ministros nesta tarde.

Temer afirmou aos jornalistas que, na conversa com Rajoy, ouviu do governante espanhol que houve resistência a reformas semelhantes implementadas no país e que agora a população reconhece a necessidade das mudanças.

Amanhã (25) começa a fase final dos debates das reformas trabalhista e previdenciária nas comissões especiais da Câmara criadas para analisar o mérito das duas propostas.

INSCRIÇÕES DA CAMINHADA DA MÃE POTIGUAR COMEÇAM NESTA SEGUNDA-FEIRA

24 de Abril de 2017 | 10:25hs
Imagem [0]

Em comemoração ao Dia das Mães será realizado no dia 13 de maio, em Natal, a tradicional Caminhada da Mãe Potiguar. Promovido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte (CBMRN) e Secretaria de Saúde do Estado (Sesap), com diversos parceiros, o evento traz como reflexão temas envolvendo a saúde da mulher e do bebê, estimulando a amamentação em local de trabalho e a doação do leite materno aos bancos de leite do Estado. A Caminhada da Mãe Potiguar terá concentração às 7 horas, no Comando Geral do Corpo de Bombeiros, que fica na Avenida Prudente de Morais, 2410, Barro Vermelho, em Natal.

As inscrições estão abertas e são limitadas. Para participar basta levar, previamente ao quartel dos Bombeiros, dois quilos de alimentos não perecíveis (exceto sal) ou quatro frascos de vidro do tipo café solúvel ou maionese, com tampa de plástico, que servirão para facilitar o serviço de coleta de leite do estado, como contribuição à redução da mortalidade infantil. As mil primeiras inscrições terão direito a camisa, um kit fruta e todas as demais estruturas do evento. 

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (84) 98129-3618 ou 3232-6871 (horário comercial). 

Anterior 1 2 3 4 5 Próxima

Sou jornalista há 28 anos, advogado e professor de História. Não sei se sou competente, mas sei que sou responsável com minhas tarefas.

netoqueiroz@uol.com.br